aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

VIDA


Nem a paz, nem o fim! A vida, a vida apenas 
É tudo que encontrei e é tudo que me espera! 
O ouro, a fama, o prazer e as ilusões terrenas 
São lodo, fumo e cinza ao fundo da cratera. 

Esvaiu-se a vaidade!... Os júbilos e as penas, 
A alegria que exalta e a dor que regenera, 
Em cenário diverso aprimorando as cenas,  
Continuam, porém, vibrando noutra esfera


Morte, desvenda à terra os planos que descobres, 
Fala de tua luz aos mais vis e aos mais pobres, 
Renova o coração do mundo impenitente! 

Dize aos homens sem Deus, nos círculos escuros, 
Que além do gelo atroz que te reveste os muros, 
Há vida...sempre a vida ... a vida eternamente...

Edmundo Xavier de Barros