aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

SALVE, IMORTALIDADE


Tudo se desfará na poeira transitória, 
Sombra e luz, guerra e paz, dor e prazer, 
Queda e restauração, servilismo e poder, 
A refulgência do ouro e a tristeza da escória 

Volverá cada sonho à beleza incorpórea, 
Passa a emoção por luz na argila a perecer, 
Cada dia se apaga além do anoitecer, 
Estrelas rolarão no abismo sem memória. 

Mas, o Espírito não!... Viajor da imensidade, 
Por mais se altere o rumo e a forma se degrade, Transforma o tempo eterno em veloz bergantim... 

E a pleno mar da vida, agoniado e inseguro, 
Ama, sofre, tateia em demanda ao futuro, 
Mas sobe, ínclito e belo, à glória do sem-fim!...

Gustavo Teixeira