aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

ONDE ESTIVERES


Enquanto o dia canta, enquanto o dia 
Esperanças e flores te revela, 
Segue na estrada primorosa e bela 
Da bondade que atende, ampara e cria. 

Não desprezes o tempo que te espia 
Por santa e infatigável sentinela... 
E, alma do amor que se desencastela, 
Perdoa, alenta e crê, serve e confia... 

Lembra-te, enquanto é cedo! Tudo, tudo 
O tempo extingue generoso e mudo,... 
Menos o Eterno Bem que, excelso, arde... 

E onde estiveres, torturado embora, 
Faze do bem a luz de cada hora, 
Antes que a dor te ajude, triste e tarde!

Auta de Souza