aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

O LIVRO DIVINO


Gemia a Terra humilhada, 
A noite do cativeiro 
Dominava o mundo inteiro 
Sob o carro da opressão; 
Com mandíbulas vorazes 
De loba que se subleva, 
Roma, encharcada de treva, 
estendia a escravidão. 
Entre as águias poderosas, 
Jazia Atenas vencida, 
Carpia Cartago a vida 
Ligada a grilhão cruel. 
Na Capadócia, na Trácia, 
Na Mauritânia e no Egito, 
O povo chorava aflito, 
Tragando cicuta e fel 
O frio invadira os templos ,
Não mais Eros de olhar brando, 
Nem bela Afrodite amando, 
Nem apoio encantador; 
O Olimpo dormira em sombra, 
Cessara a graça de Elêusis, 
Não surgiam outros deuses, 
Que não fossem do terror. 
Mas quando o mal atingira 
O apogeu da indiferença, 
Disse Deus na altura imensa: 
"Faça-se afora mais luz!" 
E um livro desceu brilhando, 
Para a Historia envilecida: 
Era o Evangelho da Vida, 
Sob as lições de Jesus. 
Tremeram dourados sólidos, 
O orgulho caiu de rastros; 
Arcanjos vinham dos astros 
Em cânticos de louvor. 
Mas ao invés da vingança, 
Contra o ódio, contra a guerra,
O livro pedia à Terra: 
Bondade, Perdão e Amor... 
Começara o novo Reino... 
Horizontes infinitos 
descerraram-se aos aflitos, 
Perdidos nos escarcéus; 
Os fracos e os desditosos, 
Os tristes e os deserdados, 
Contemplaram, deslumbrados 
Novos mundos, novos céus. 
Desde então a Humanidade 
Trabalha,cresce, porfia, 
ao clarão do novo dia, 
Por escalar outros sóis; 
E a mensagem continua, 
Em sublimes resplendores, 
artistas, Santos e Heróis. 
Espíritas, companheiros da grande 
Luz Restaurada, 
Tracemos a nossa estrada, 
Na glória do amor cristão; 
E servindo alegremente 
Na luta, na dor, na prova, 
Busquemos na Boa-Nova 
O Livro da Redenção.

Maria Dolores