aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

O HOMEM E A MORTE


Ao Homem disse, um dia, a Vaidade excitante: 
- "És o rei da criação! A Terra toda é tua!..." 
O Orgulho comparece e, presto, continua: 
- "Ave, senhor da vida, altíssimo gigante!..." 

Na sombra espessa, em torno, a Descrença acentua: 
- "Nada existe, afinal , sem teu cetro brilhante..." 
E a Fortuna declara: "Ordena, comandante! 
Do meu áureo poder ninguém te destitua..." 

E o Homem dá-se todo à carreira ilusória, 
Bradando para os Céus em delírios de glória:
- "Deus, se existe, oh! Deus, jamais me sobrelevas!..." 

Mas a Morte aparece e, num simples segundo, 
Vê-se triste e sozinho o monarca do mundo 
Intimado a pensar no silêncio das trevas...

José Cirilo Chagas