aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

LEI


Reencarnação!...Descer de mansão doce e flórea, 
Ninho tecido aos sóis qual fúlgida escumilha, 
Onde a vida pompéia excelsa maravilha, 
Ante o ser livre e belo - ave aos cimos da glória 
Recorda o corpo escravo ascorosa armadilha; 
O berço - irmão do esquife - é a furna em que se humilha 
Todo sonho ideal de ventura incorpórea. 
Reencarnação, porém, é a Justiça Perfeita, 
A lei que esmonda, ampara, aprimora e endireita, 
Por mais o coração inquira, chore ou trema!... 
Alma, entre a lama e a dor da luta em que te abrasas, 
Crias teu próprio mundo e as tuas próprias asas 
Para galgar, um dia, a vastidão suprema!...

Constâncio Alves