aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

ERA NOVA

Fulge o século XX...é o homem que se apruma
Na conquista do espaço em majestade e glória; 
Surgem novos clarões nos domínios da Historia 
E algumas ancestrais desatam-se, uma a uma... 
Mas na turba que geme há pranto, cinza e bruma, 
Ódio, orgulho e ambição na lodacenta escória, 
Que se alonga no chão, por sombra merencória, 
Gerando, em toda a parte, a dor que se avoluma. 
Estendemos,assim, na triste gleba humana, 
A lição de Jesus, eterna e soberana, 
Fazendo nova luz na Terra envilecida... 
Porque somente em Cristo, ao Sol dum rumo certo, 
Pode o homem do mundo, enfim, puro e liberto, 
Elevar-se, cantando, ao encontro da Vida. 

Orlando Teixeira