aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

DESTINAÇÃO


Torpitude larval, de monera a monera, 
Impulso a impulso, passo a passo, clima em clima, 
Do lodo ao céu, da treva ao sol, de baixo acima, 
Homem, de longe vens!... Detém-te, escuta, espera!... 

A fé restaura, o bem renova, a dor sublima. 
Trabalha, sofre, aprende, ampara, persevera 
Na construção do amor, por mais rija e severa, 
Inda que a ingratidão te furte a humana estima!... 

Da cruz que te escraviza entre abismos medonhos, 
Tecerás, vida em vida, as asas de teus sonhos, 
Gemas, no entanto, agora, em lágrimas submerso. 

Hoje, viajor da sombra a caminhar de rastros, 
Amanhã, rei da luz no domínio dos astros, 
Partilhando com Deus o Trono do Universo!

Maciel Monteiro