aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

DESENCARNAÇÃO


...E desperto, extasiado, entre a praia e a montanha... 
Porque mais claro o céu, porque mais verde o mar? 
O mundo em derredor é um castelo a brilhar, 
Entre ogivas de prata a lua se emaranha... 
Cantam vagas n'areia uma balada estranha, 
Guardo, alerta e feliz, o dom de reencontrar 
O berço, a meninice, a voz do antigo lar, 
A poesia do amor que me inspira e acompanha!...  
Insone, torno ao quarto, e vejo-me deposto, 
Rígido o corpo inerte, a palidez no rosto... 
Será isto,Senhor, o pesar de morrer?!... 
Vida, que me trouxeste á morte malsofrida, 
Morte, que restituis meu coração à vida, 
Quero partir, mudar, renovar, esquecer!...

Olegário Mariano