aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

BENDITO SEJAS


Bendito sejas, coração amigo, 
Pelo pão que dás, à porta, 
Ao companheiro que se desconforta, 
na aflição da penúria sem abrigo!... 
Deus te faça feliz pela roupa que ofertas 
Aos torturados do caminho, 
Que tantas vezes se vão ao desalinho 
Das feridas que trazem descobertas... 
Deus te conceda o premio da ventura 
pela ternura sorridente 
Com que cevas ao doente 
O amparo do remédio e a esperança da cura. 
Deus te guarde na fonte da alegria, 
Para lenir, no esforço a que te dês, 
A orfandade e a viúves 
Que vivem para a dor de cada dia. 
Deus, porem, te abençoe, 
coração brando e pasmo, 
Com a mais sublime recompensa, 
Quando olvidas a intromissão da ofensa, 
O golpe da injustiça e a pedra do sarcasmo. 
Deus te exalte no santo esquecimento 
Do mal que te golpeia, 
Reduzindo a extensão da chaga alheia 
Sem cogitar do próprio sofrimento. 
Bendito sejas, coração submisso, 
Embora sábio entre os mais sábios, 
Pela palavra boa de teus lábios, 
No exemplo da bondade e do serviço, 
Porque o amor transforma a sombra em luz 
E o perdão, onde ampare, nunca erra, 
Auxiliando a vida em toda a Terra 
Para o Reino Divino de Jesus.

Maria Dolores