aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

AO ENCONTRO DO ALÉM


Homem, para um momento, onde sonhas e esperas!... 
Pára e contempla os Céus...No espaço, de ala em ala, 
Fulgem constelações...A vida canta e fala 
Pela tuba dos sóis em flâmeas fotosferas. 
Há mundos aurorais, por divinas esferas, 
Quais suspensos jardins, entre lumos de opala... 
E além, no Mais Além, a sombra circunvala 
Os planetas de dor em lágrimas susterás!... 
Na imensidão do Cosmo, o Universo cintila!... 
Não mergulhe no lodo, anjo preso na argila, 
Trabalha e aperfeiçoa, enquanto aprendes e erres!... 
Cultiva paz e amor, nos áureos tempos novos, 
E encontrarás, em breve, os lares de outros povos 
Para enlaçar cantando os irmãos de outras Terras!...

Félix Pacheco