aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

ALGUÉM


Alguém te bate à porta, dia a dia, 
Esmolando-te amor, oculto embora 
Nas agruras e chagas de quem chora 
Entre a grande aflição e a noite fria... 
Medita e ouvi-lo-ás chamando agora 
Na miséria cansada que te espia, 
Nos herdeiros da sombra e da agonia, 
Que se arrastam gemendo estrada afora... 
Alguém te segue os passos, de mansinho, 
Junto às trevas e às dores do caminho, 
Anotando o que fazes por vencê-las; 
Esse Alguém é Jesus que, em toda idade, 
Arrecada os teus gestos de bondade 
No Tesouro Divino das Estrelas.

Auta de Souza