aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

E, ó vento vago


E, ó vento vago
Das solidões,
Minha alma é um lago
De indecisões.

Ergue-a em ondas
De iras ou de ais,
Vento que rondas
Os pinheirais!