aqui mora a poesia...

aqui mora a poesia...

Ordem do dia aos exércitos da arte

A brigada dos velhos repete sem cansar-se.
A cantilena é sempre igual:
Camarada
Para as barricadas!
E eu digo:
Barricadas da alma e do coração.
E eu digo:
Somente é comunista verdadeiro
quem destrói as pontes da retirada.
Basta de marchas futuristas
ou de saltos no futuro.
Construir um trem é pouco.
Se a canção rebelde não levanta os povos
de que serve a mudança de marcha?
Ajuntai os sons uns aos outros
e prossegui
cantando e assobiando
Há entretanto lindas letras
U
R
S
S
É pouco para fabricar um par de botinas
ou coser os galões às calças.
Os deputados não movimentarão os exércitos
se os músicos não abrirem a marcha.
.................
Basta de verdades baratas.
Arrancai o ranço do coração!
As ruas são nossos pincéis
e paletas as nossas praças.
No livro do tempo
ainda não foram cantadas
as mil páginas da revolução.
Para a rua, futuristas,
tambores e poetas!